Estilo é individualidade

É importante descobrir quais as peças e acessórios que você gosta e que ficam bem em você

É importante descobrir quais as peças e acessórios que você gosta e que ficam bem em você

Ao desenvolver nosso estilo, nos tornamos únicos. O estilo pessoal é nossa marca registrada. Ele reflete o que somos, o quanto nos cuidamos e nos gostamos.

Em apenas 10 segundos, transmitimos, por meio do nosso código de vestir, informações fundamentais como nossa personalidade, classe social, situação financeira, de como estamos nos sentindo e até mesmo do nosso nível de sucesso profissional.

As roupas e os acessórios fazem parte da nossa comunicação não-verbal e traduzem nosso estilo. Existem diversos tipos de estilos que, se combinados com a silhueta de cada um, formam looks harmoniosos.

Para descobrir seu estilo você precisa se olhar no espelho, se observar, pesquisar, descobrir o que gosta e o que não gosta. É importante se entender e se conhecer, pois assim você transmitirá segurança na forma como se veste.

Você é o que você comunica. E o que vestimos comunica o que somos.

 

Qual é seu estilo?

  • Tradicional

São pessoas organizadas, conservadoras e formais.
Preferem linhas retas e poucos detalhes
  • Elegante

Menos é mais.
Este estilo valoriza peças de aparência impecável e com bom corte
  • Romântico

Mulheres deste estilo gostam de babados, rendas e laços.
Os homens esbanjam charme e refinamento
  • Sexy

    Mulheres usam poucos detalhes e modelagem ajustada ao corpo.

    Os homens se preocupam com o  físico, são confiantes, sensuais.

     

Um passeio pelas décadas

O estilo é muito recente. Até 1980, tínhamos períodos bem definidos na história da moda, como as décadas de 1920, 1930, 1940, 1950, 1960, 1970 e 1980.

Depois do exagero e da ostentação dos anos 80, todo mundo ficou igual. E era preciso se diferenciar. Foi aí que o estilo ganhou relevância.

Espia aqui imagens que refletem algumas décadas do século 20:

 

Os anos 20 são conhecidos como os anos loucos. Os jovens queriam aproveitar a vida. Os cabelos femininos, antes compridos, ficam curtos

Dificuldades econômicas e glamour tangem os anos 30, quando o corpo novamente fica em evidência

Recessão e originalidade fizeram parte dos anos 40, marcados pela cintura fina e o uso de turbantes e chapéus

Silhueta New Look aparece nos anos 50, e a saia fica mais baixa

Minha década favorita, os anos 60. Os jovens rebeldes não querem se vestir como seus pais e mães

Hippies representam os anos 70, período de grande contestação, de volta à natureza, cabelos compridos e flores

O exagero tomou conta dos anos 80

 

Informações fone (51)9988.9941 e email ana@anafritsch.com